Matheus Oliveira: A Morte dos seus Santos

sábado, 31 de dezembro de 2011

A Morte dos seus Santos

Por: Ana Paula Valadão

Ei queridos, termino o ano deixando por aqui um texto que escrevi para o nosso jornal Atos Hoje, semanário da Igreja Batista da Lagoinha.
Apesar de ser um tema triste, é marcado por gratidão. E esse sentimento é o que enche meu coração ao chegarmos ao final de mais um ano. 2011, de tantas mudanças em minha vida e ministério… De vidas preciosas que Deus colocou em minha história… Divido com vocês sobre duas pessoas que passaram por aqui, cuja lembrança vou carregar sempre comigo, como referencial e encorajamento…
“Preciosa é, aos olhos do Senhor, a morte dos seus santos”. Salmo 116:15
A morte para nós é despedida, deixa saudade. O lugar da pessoa amada é insubstituível, e os abraços dos amigos, que consolam na hora da má notícia, vão se afastando à medida em que a dor do vazio, no dia a dia, é enfrentado por aqueles que ficaram. Um dos nomes do Espírito Santo é Consolador. Apenas Ele, esse companheiro de todas as horas, que nunca nos deixa sós, pode aliviar a pressão, a dor no peito, arrancando o desespero e o tormento e derramando o precioso bálsamo da sua paz.
Para aqueles que dormem no Senhor existe a promessa da ressurreição, do corpo glorificado, da mansão celestial, da cidade santa onde não há mais lágrima nem dor. Para os que ficaram, a esperança do reencontro nas ruas de ouro, por onde caminharão todos os que creram no Cordeiro de Deus, Jesus, que tira o pecado do mundo. Cristo em nós, a esperança da Glória!
Este ano de 2011 termina deixando algumas famílias em Lagoinha marcadas pela dor da perda. Como Corpo, nos identificamos com os que choram, não apenas na hora da despedida. Devemos nos importar continuamente e abraçar nossos irmãos que sofrem a morte de alguém, pois o ajuste à vida sem aquela pessoa é muito duro.
A todos de Lagoinha cujos nomes de avós, pais, irmãos, filhos, amigos, estiveram registrados em nossa sessão de falecimentos do Atos Hoje em 2011, nossa oração é constante para que sejam fortalecidos. Não temos todas as respostas, mas sabemos que, não importa como seu ente querido partiu, aos olhos do Senhor foi um momento precioso de receber uma amada ovelhinha em Seus braços eternos!
De modo especial registramos nosso carinho para a família do Pastor Mariano e da Tia Eufrásia, que serviram fielmente a Deus por toda a vida, até a última Quarta Feira, 28/12, quando o Senhor os recolheu. Vieram de muitos anos de ministério em São Paulo e no Espírito Santo. Em Lagoinha desde o ano 2000, Mariano era excelente conselheiro e orava fervorosamente atendendo pessoas no Telefone da Paz. Tia Eufrásia, profetiza e intercessora, atendia muitas pessoas na Estância Paraíso. Era tia materna da Pastora Ezenete Rodrigues, e foi ela quem a discipulou e era seu braço direito de oração.
Eufrásia, cega, não podia enxergar e ouvia com dificuldade. Ele, esposo dedicado, era seus olhos e mãos, e a guiava por onde ia. Um de seus pedidos a Deus era para que partissem juntos, e essa oração foi atendida. Para nós, que ficamos, o atropelamento foi um trauma terrível. Mas, aos olhos de Deus, foi a partida para o encontro eterno dos filhos com o Pai. No velório, amigos e familiares, pastores e companheiros de ministério, testemunharam por um dia inteiro de louvor e adoração sobre o valor de suas vidas. Simplicidade, perseverança, amor e intimidade com Deus foram marcas que deixaram naqueles que puderam tocar. A paixão de evangelizar, de ganhar almas para Jesus, a disposição incansável no serviço ao Mestre, nos inspiram. “Nosso descanso não é aqui”, é o que diziam, sempre prontos a servir.
Ao final do culto um testemunho da Pastora Zê também me emocionou. Ao conversarem sobre a proximidade da partida (pois diversas vezes nesse ano o Senhor os avisou que estava perto de levá-los), tio Mariano pediu que não tocassem CD em seu sepultamento. Ele queria que pessoas adorassem ao vivo, e esse pedido também foi atendido! Eu e toda a equipe DT estávamos ali, desde cedo, tocando, e cantando. Estávamos agradecendo a Deus por estas colunas que sustentaram nosso ministério desde os primeiros dias. Quando eu ainda era uma adolescente, cheia de feridas na alma e oprimida pelo inimigo, a Pastora Ezenete estava doente e por ordem médica não poderia atender ninguém por algum tempo. Foi a tia Eufrásia que recebeu uma visão espiritual a meu respeito, em que Deus dizia que era para me receber e me ajudar. Ela já via os grandes propósitos de Deus para mim. E de lá para cá, ganhei nela, e em toda esta preciosa família, novos irmãos, pais, tios e primos. Pessoas que me amaram incondicionalmente e que continuaram a “gerar” os planos de Deus para mim e através de mim.
A certeza é a de que agora Tia Eufrásia pode ver, ouvir, cantar plenamente, face a face com o amado Salvador, literalmente diante do trono de Deus e do Cordeiro. Ela O serviu intensamente com sua frágil e ousada vida. Nada a impedia de viver, e um de seus últimos sonhos realizados foi ter participado da nossa Caravana a Israel. Agora ela está na Nova Jerusalém, onde não há mais noite, só a Luz do Dia. Tio Mariano, carinhoso (como gostava de abraçar!), agora celebra com os santos de todos os tempos, numa comunhão sem fim. Sua história, exemplo e lembranças, nos corações de todos os que tiveram o privilégio de conviver com eles, frutificará e multiplicará, levando mais e mais vidas aos pés de Jesus, assim como durante sua vida, ainda mais agora, na sua morte.
Fonte: Blog da Ana

Artigos Relacionados

0 Comentários:

Postar um comentário

Leu? Agora avalie e deixe um breve comentário. CG