Matheus Oliveira: Igreja, Casamento e Família no Novo Testamento

sábado, 14 de abril de 2012

Igreja, Casamento e Família no Novo Testamento

O Novo Testamento traz orientações ricas sobre a família, e de como se dá o relacionamento entre pais e filhos, além de instruir sobre a responsabilidade dos pais e dos filhos na construção e saúde familiar. "Tanto Jesus quanto Paulo fornecem instrução considerável acerca desse assunto fundamental".


Família e Discipulado. O Novo Testamento ressalta o valor e importância da família, considerando, inclusive, o seu valor espiritual. No entanto, é preciso considerar que no seguimento de Jesus o discipulado, ou o amor a Cristo, vai além dos vínculos familiares. Nas palavras do próprio Jesus: "Se alguém vier a mim, e amar pai e mãe, mulher e filhos, irmãos e irmãs, e até a própria vida mais do que a mim, não pode ser meu discípulo". Dessa forma alguém pode ser rejeitado pela família por causa do amor prioritário a Jesus. No entanto, o cristão não deve negligenciar suas responsabilidades familiares. Nas palavras de Paulo, o apóstolo, "Se alguém não cuida dos seus, especialmente dos de sua família, tem negado a fé e é pior que um descrente" (1 Tm 5.8).

O papel de pais, mães e filhos.
Os filhos no ensinamento de Paulo. É preciso destacar que no contexto bíblico, "honrar os pais é um mandamento, enquanto qualquer rebelar-se contra os pais equivale a desrespeitar a Deus. A desobediência aos pais é colocada no mesmo nível da traição e idolatria" (veja, p. ex., Êx 21.15,17; Lv 19.3; 20.9; Dt 21.18-21; 27.16).
A orientação mais clara de Paulo sobre a postura dos filhos aparece em Efésios 6.1-3: Filhos, obedecei os vossos pais no Senhor, pois isto. Honra teu pai e tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa), para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra. No contextos de efésios, a submissão dos filhos é resultado de ser cheio do Espírito.
Os pais e a importância da paternidade. Paulo orienta os pais com as seguintes palavras: E vós pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor (Ef 6.4). Os pais tem uma responsabilidade importantíssima para com os filhos: disciplina e admoestá-los. Mesmo que a mãe passe mais tempo com os filhos, Paulo atribui a responsabilidade principal a disciplina do pai.
Entre atitudes que o pai deve ter no exercício da paternidade, é não provocar a ira nos folhos. "Os pais devem evitar, portando, atitudes, palavras ou ações que tenham efeito de provocar a ira dos filhos, inclusive a disciplina excessivamente severa, abuso e humilhação e todas formas de insensibilidade às necessidades e sentimentos do filho".

As mães e a importância da maternidade. Além da importância de "dar à luz filhos", a mulher é cooperadora na administração do lar, inclusive na disciplina dos filhos. No entanto é importante ressaltar que a mulher realiza-se como mulher em suas funções familiares. "É justamente ao participarem de seu papel em relação à família que as mulheres cumprem sua vocação principal". Isso não significa que a mulher deve restringir-se ao ambiente doméstico, mas viver sua vocação como auxiliadora e mãe.

Papéis e responsabilidades familiares segundo as Escrituras



PapéisResponsabilidadesTextos
PaisProver para a família, filhos
Garantir o devido cuidado e disciplina
2 Co 12:14
MãesCriar os filhos, maternidade
Administrar o lar
Ef 6.4; Cl 3.21; Hb 12.6
1 Tm 5.14
FilhosObedecer os pais
Cuidar dos na velhice
Ef 6.1-3; Cl 3.20
1 Tm 5.8
Conclusão. O casamento e a família, com toda sua importância, não existem para si mesmos nem para o nosso bem imediato. Antes, Deus criou ambos para sua glória. O teólogo Dietrich Bonhoeffer expressa esse conceito dessa forma:


Por meio do casamento, homem vêm a existir para glorificar e servir a Jesus Cristo e para o crescimento de seu reino. Isso significa que o casamento não se conduz penas a uma questão de gerar filhos, mas também de educá-los de modo a serem obedientes a Jesus Cristo. No casamento, de novos homens são criados para servir a Jesus Cristo (citação do livro Ética).

O casamento e a família, então, devem ser comprometidos com Jesus Cristo, sujeitos a ele.
Obs.: O livro usado como referência básica para nossas reflexões é "Deus, casamento e família".

Artigos Relacionados

0 Comentários:

Postar um comentário

Leu? Agora avalie e deixe um breve comentário. CG

Arquivo do blog