Matheus Oliveira: Paixão, Amor e o seguimento.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Paixão, Amor e o seguimento.

Paixão e Amor, ambas diferentes uma da outra, cada uma dessa equipe são independentes, sendo que o amor não precisa da paixão para ser amor. Mas a a paixão precisa do amor para ele se tornar dependente do amor, para viver debaixo do senhorio do Amor!
Paulo vai dizer na 2ª carta a Timóteo 2:22 "Foge também das paixões da mocidade...", então o crente após ver isso, começa negar a paixão, até mesmo o amor, pelo motivo de não querer se apaixonar, com algum medo de Deus não aceitar algo.
Já fiz várias perguntas a alguns irmãos assim: - Está apaixonado(a)? - Quem é sua paixão?
E em diversas perguntas, sendo a resposta que a paixão é algo de Satanás, e dizendo que não é de Deus, até falando que não irá se apaixonar!
Sabemos que a paixão e o amor são diferentes, mas se negar a paixão, pode resultar em negar o amor também, sabemos que o amor é algo divino, é algo dos altos, é algo de perto, sendo o Amor Yahweh que é Jesus Cristo.
Não estou dizendo pra preferir a paixão, mas estou mostrando que a paixão é algo precisante para ser amor, se caso você quer dizer que está gostando de uma pessoa, vai dizer como? "Estou apaixonado por você", pois se citar "Estou amando você", já cai em outro contexto, que creio que vocês entenderam essa parte.
Paixão se promove ou se enlouquece, a promoção vai pro amor, mas a loucura para a própria loucura. Já o amor não se promove e nem enlouquece. O amor é Deus, e Deus não enlouquecerá, nem mesmo se promoverá pois ele já está bem promovido em infinidade que não é comparável pra nenhum estudioso, nem pra anjos.
Paixão pode vim pela aparência, pela carne, por ilusão ou mesmo por uma pessoa, e a outra sem conhecimento ou querendo diversão.
Amor vem sempre como cego, como o "mundo" diz, mas não é cego, pois se ele é cego, Deus pai também é? Deus nos ama de uma forma não explicada por ninguém, o amor não vem por ilusão, nem por aparência, nem por diversão, ela vem pela beleza interior, pela conduta da pessoa e principalmente, a autoridade de Deus!

Vamos ver o seguimento: Paquerar - Namorar - Noivar - Casar

Paquerar na paixão: É algo ousado, as vezes passa despercebido por ambos, algo que cai em algo que é popular no mundo, o famoso "ficar", onde muitas vezes rola algo que só pode ser promovido depois do casamento, assim é a vontade de Deus.
Paquerar no amor: É lindo, respeitoso, algo que causa "bestagem" aos que veem, mas espera em Deus, sabe dedicar-se a Deus, espera em Deus! As vezes promovem sofrimento, promove até mesmo ciumes, e o ciumes demostra o amor pela outra pessoa, mas cito o ciume comum e não quando se arde.

Namorar na paixão: É algo raramente de se acontecer, vindo da paixão, pois a pessoa seguindo a paixão, em modo algum vai ser promovido a namoro, só mesmo que estiverem com pressa, sem nenhum respaldo ou intervenção de ninguém, é bom lembrar que a paixão é algo passageiro, chamado ilusão, por isso que falei que é raro chegar até aqui.
Namorar no amor: Algo que é envolvido Deus na relação, o namoro entre amor pode ser rápido ou até mesmo demorado, pois o amor é paciente, mas também sofre, mas também entende o seu sofrimento, então prefere esperar em Deus.

Noivar na paixão: Raro ou até mesmo impossível, muitos se noivam e não assume o compromisso, outros nem passam pelo noivado e vão direto pro casamento, aqueles rápidos, quando acontece alguma gravidez inesperada. Ou mesmo quando não é isso, algum do integrante ou até mesmo os dois acham que já pode fazer algo que Deus não aceita antes do casamento.
Noivar no amor: Quando assume essa obrigação, é assumir uma obrigação com Deus, o noivado é algo mais profundo do que o namoro, pois dele nascerá uma família após o casamento, mas como o noivar no amor é em Cristo, não se podem mudar os atos, como era como namoro e noivado, devem ser os mesmo, só que o noivado é um preparo.

Casar na paixão: Acontece? -Sim, mas provável, com toda certeza cairá em divorcio, mesmo sendo algo que Deus não gosta, pois a paixão não quer interesse com o amor, o nosso Deus. Será em vão.
Casar no amor: Aliança firme em Deus, uma aliança que Deus promoveu é aliança inquebrável, sendo uma aliança com Abraão e Deus, ou mesmo Jesus Cristo com a igreja, assim é o homem e a mulher que estão debaixo do senhorio de Jesus Cristo.


Paixão se torna amor, mas o amor se torna ele mesmo.

Concluindo: Apaixone sim, mas transforme em amor, não se apaixone por meio da paixão e sim por debaixo do senhorio do amor.

Abaixo 5 versões, interessantes lerem todas, cada uma com palavras diferentes, mas no mesmo contexto.


1 Coríntios 13:4-8


Almeida Corrigida e Revisada Fiel: O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; 

Almeida Revisada Imprensa Bíblica: O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece,
não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal;
não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade;
tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor jamais acaba; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; 



Nova Versão Internacional: O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha.
Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor.
O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade.
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor nunca perece; mas as profecias desaparecerão, as línguas cessarão, o conhecimento passará. 



Sociedade Bíblica Britânica: A caridade é longânima, é benigna, a caridade não é invejosa, não se jacta, não se ensoberbece,
não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal,
não se regozija com a injustiça, mas regozija-se com a verdade;
tudo suporta, tudo crê, tudo espera, tudo sofre.
A caridade jamais se acaba; mas quer haja profecias, desaparecerão; quer línguas, cessarão; quer ciência, desaparecerá. 



Versão Católica: A caridade é paciente, a caridade é bondosa. Não tem inveja. A caridade não é orgulhosa. Não é arrogante.
Nem escandalosa. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor.
Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade.
Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
A caridade jamais acabará. As profecias desaparecerão, o dom das línguas cessará, o dom da ciência findará. 



Matheus Oliveira

Artigos Relacionados

0 Comentários:

Postar um comentário

Leu? Agora avalie e deixe um breve comentário. CG